9 de agosto de 2017

Resenha | Tudo que deixamos para trás

Você já parou pra pensar no que aconteceria se as abelhas simplesmente sumissem? No impacto que isso causaria não só na natureza mas principalmente na vida humana? É exatamente desse assunto que o livro Tudo que deixamos para trás fala. 

Nele vamos conhecer três personagens, três histórias, cada uma num tempo e lugar diferente. Uma em 1852 narrada pelo estudioso William, outra em 2007 pelo apicultor George e a última é uma futurista porém bem diferente do que a gente costuma ver em filmes, de 2098 narrada pela Tao

Obviamente no ano de 1852 as abelhas não tinham sido extintas, mas no futuro de Tao elas já não mais existem. Os humanos passaram a fazer o trabalho delas, um serviço demorado, incerto e muito importante para a sobrevivência. É que sem as abelhas polinizando as flores os frutos não existem, e comida não existe. E se a comida está escassa para os humanos que dirá para os animais, como o gado. Ou seja, sem leite ou derivados. Nem preciso continuar com a lista.

Os outros personagens também têm ligação com as abelhas, além de um importante papel na história. Confesso que foi um pouco irritante ler a história do William, nunca vi uma pessoa querer desistir tanto de tudo como ele. Além de vê-lo ser insistente com um dos filhos para que estudasse como ele quando obviamente este não queria, e ignorar completamente uma das filhas quando era essa que se sobressaia no assunto inteligência. Gostei muito dessa personagem, e fiquei muito feliz com o futuro dela na história.
George tem ligação direta com as abelhas todos os dias desde a infância, já que a família sempre trabalhou com apicultura. O dilema da vida dele é fazer com que o filho, Tom, trabalhe com ele e queira herdar o negócio da família. E esse é mais um dos filhos dos personagens principais que me deu orgulho, talvez o que mais me deu orgulho, pois foi o único que enxergou o verdadeiro problema e fez a diferença na história.

Esse não é um livro que te conquista nas primeiras páginas, como uma fantasia ou qualquer gênero que você goste muito. Se não der uma chance ele pode até ser considerado chato, por ter uma temática mais verdadeira, mais real. Mas ele cativa sim, aos poucos, gradativamente, e de repente você se vê querendo saber se tudo pode ser resolvido, rezando pra que isso seja possível.

De longe meu narrador preferido foi a Tao. Foi a época mais real para mim, mesmo que a história dela se passe a uns bons anos a frente do nosso ano agora. Senti na pele todas as angústias que ela sofreu. E tudo foi tão real, tão convincente, que não pude deixar de chorar em alguns momentos. E ainda estou preocupada, porque o medo disso tudo acontecer se instalou em mim, principalmente porque as mudanças coletivas necessárias pra que não aconteça são praticamente impossíveis. Já individualmente, aprendi minha lição e vou fazer minha parte.

Se tu é um leitor a bastante tempo eu indico demais essa leitura, até porque só lendo ele pra entender e conseguir se conscientizar. Eu poderia falar e falar e não conseguiria passar o que cada página desse livro me ensinou, tudo nele foi necessário pra compreender a solução. Novamente, ele não vai te prender no começo, mas quando ele acaba tu sente o peso da importância dele sobre ti, e resta somente admirar a obra incrível que ele é, e o desejo de propagar a mensagem que ele passa.

Autora: Maja Lunde
Editora: Morro Branco
Onde comprar: Amazon | Saraiva | Submarino


10 comentários:

  1. Eu abri esse post porque achei a capa linda e agora tô louca pra ler esse livro, parece realmente incrível!
    O tipo de livro que nem li mas já to com a sensação de que vou querer fazer todo mundo ler pra se conscientizar um pouquinho do tema!
    Beijos, adorei a resenha!
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
  2. Gente, eu já tinha visto esse livro na livraria mas não me interessei muito, agora lendo a resenha eu simplesmente tô louca pra ler! A história parece interessantissima e eu realmente nunca tinha parado pra pensar no tema. Adorei a resenha, parabéns ♥

    blogdaumzoom.com

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro! Eu amo Biologia, sei bem a importância das nossas queridas abelhinhas e realmente me motivou a querer ler! Vou comprar o e-book pra ler no meu kindle. Obrigada pela indicação, amei sua resenha!
    Beijos,
    Ka.

    ResponderExcluir
  4. Parece um livro interessante de se ler! Adorei o post, muito bem estruturado :)
    Beijinhos,
    The Dreamer Girl

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei muito da capa e do assunto que ele aborda. É tão bom quando um livro te ensina algo, faz você pensar que pode ajudar, pode conscientizar outra pessoa.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro parece ser absurdamente maravilhoso,fantástico...eu nem li o livro mas me encantei demais com sua resenha e realmente as abelhas assim como beija-flor que quase não vemos mais tem esse papel muito importante para a natureza...parabéns pela resenha bjs

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia este livro ainda, gostei muito da sua resenha, e deu para notar que realmente você gostaria de repassar a lição da leitura, ao máximo de pessoas que você pudesse. Parabéns pelo post e pelas fotos.

    ResponderExcluir
  8. Primeiramente preciso falar que capa linda!! Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro. Achei muito interessante e diferente de todos os outros, e isso é muito legal. Se um dia eu tiver oportunidade, com certeza irei ler, depois dessa resenha maravilhosa! Parabéns. ❤

    ResponderExcluir
  9. Pela a sua resenha fiquei com curiosidade de ler e saber a mensagem que o livro passa, imagino que a conscientização afeta cada pessoa de forma diferente e adoro livros que contam com mais de um personagem com um papel fundamental.

    www.aromadecachos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Isa, tudo bem? Não conhecia esse livro mas o título já nos causa uma certa curiosidade. Que interessante ele ser dividido em três histórias. Isso faz com que o livro seja ainda mais rico pois é possível perceber a visão de pessoas diferentes num mesmo contexto (mesmo que as abelhas não tenham sido extintas ainda). Fiquei realmente interessada em saber as reflexões que fez você chorar e refletir sobre o rumo da humanidade. Sua resenha ficou incrível. Assim que possível irei ler. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

Adaptado por Isabelle Felicio

Tema Base por Butlariz